segunda-feira, 31 de maio de 2010

ARMAS EM FUNERAL – Tenente Coronel César Luís Bezerra de SYLOS.

Lamentamos ter de informar o falecimento do Guerreiro, Ten Cel Inf César Luís Bezerra de SYLOS oficialamigo de fino trato, amigo e companheiro de muitas lutas em diversas empreitadas por esse Brasil, transmitimos aos seus familiares os nosso mais sentidos pêsames, extensivo aos seus amigos e colegas e que o Grande Arquiteto do Universo o receba com a Guarda de Honra. À família enlutada, os nossos sentimentos.


CORNETEIRO, TOQUE SILÊNCIO!


Ten Cel Inf César Luís Bezerra de SYLOS

Turma de Formação: 09 Dez 1989

Informações recebidas

Poá/29 Mai 2010 -

Tenente Coronel morre baleado em assalto a supermercado em Sapucaia do Sul

César Luís Bezerra de Sylos reagiu e foi atingido por um tiro no abdômen, diz a BM.

Três homens assaltaram um supermercado em Sapucaia do Sul, na Rua João Cândido, no bairro Piratini, e mataram o subcomandante do 18° Batalhão de Infantaria Motorizado, tenente-coronel do Exército César Luis Bezerra de Sylos, 45 anos. O crime aconteceu por volta do meio-dia deste sábado.

Segundo a Brigada Militar (BM), Sylos teria estacionado o automóvel e se dirigido para a entrada do estabelecimento, deixando a filha adolescente dentro do veículo. Pouco antes de entrar no supermercado, o militar foi abordado pelos assaltantes, que exigiram as chaves do seu carro para fugir. Ele foi atingido por um tiro no abdômen e levado ao Hospital Getúlio Vargas, em Sapucaia do Sul, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Os assaltantes fugiram em um Palio vermelho em direção a Novo Hamburgo. Cerca de 30 pessoas estavam dentro do supermercado durante o assalto, mas ninguém ficou ferido. O caso está sendo investigado pela 1ª Delegacia de Polícia de Sapucaia do Sul.

Retrato de suspeito de matar tenente-coronel será divulgado nesta segunda.

Jornal de Novo Hamburgo/RS

Testemunhas foram convocadas para auxiliar na descrição de características do assaltante.

Sapucaia do Sul - Deve ser divulgado hoje o retrato-falado do autor dos disparos que mataram o subcomandante do 18.º Batalhão de Infantaria Motorizado (BIMtz), de Sapucaia do Sul, tenente-coronel César Luis Bezerra de Sylos, 47 anos, sábado ao meio-dia. O oficial do Exército foi atingido com três tiros durante um assalto a um mercado, no bairro Piratini. O chefe de investigação da 1.ª Delegacia de Polícia da cidade, Marcelo Dias, diz que testemunhas foram convocadas para auxiliar na descrição de características que possam ajudar a identificar os homens vistos no estabelecimento. ‘‘Os trabalhos para chegar a identidade dos suspeitos iniciaram no momento da comunicação da ocorrência. A perícia feita no local e o laudo de necropsia são fundamentais para dar seguimento as investigações.’’


Enterro em São Paulo

Subcomandante do 18º BIMtz desde fevereiro de 2009, Sylos foi sepultado ontem no Cemitério de Valinhos, em São Paulo. O Segundo Sargento do 18º BIMtz, André Yasushi Kondo, informou que o corpo do oficial foi liberado do Posto Médico Legal (PML), de Canoas, às 6 horas de ontem. ‘‘Ele foi velado no quartel em uma cerimônia restrita à família. A solenidade se estendeu até as 10h30. Depois disso, uma aeronave da Força Aérea Brasileira decolou transportando o corpo do subcomandante para a cidade de Campinas, no estado paulista.’’


BM recebe denúncias pelo 190

O Capitão do 33.º Batalhão da Polícia Militar, Rafael Barcelos Venturella, que atualmente responde pelo subcomando e que coordenou buscas aos suspeitos na data do crime, diz que o efetivo checou uma série de denúncias anônimas que chegou ao Batalhão. ‘‘O Fiat Palio, quatro portas, usado na fuga, seria produto de roubo. Por isso a preocupação do grupo em arranjar outro veículo para fugir do local do crime. Estamos cruzando informações, mas não há nada de concreto’’, diz o Capitão, lembrando que a BM apenas colabora com a investigação coordenada pela Polícia Civil.


Natural do interior de São Paulo, tenente-coronel queria "ser gaúcho"

Zero Hora

Sylos era considerado um oficial de fino trato, que conversava do mesmo modo com oficiais superiores ou recrutas.


Natural de Araçatuba, no interior de São Paulo, o Tenente Coronel do Exército César Luis Bezerra Sylos, 47 anos, vivia no Rio Grande do Sul havia pouco mais de um ano, mas já nutria um gosto especial pela terra, alimentando o desejo de ficar para sempre entre os gaúchos. Antes, havia servido no 53º Batalhão de Infantaria de Selva, em Itaituba, no Pará.


– Almoçamos juntos na quinta-feira passada em uma solenidade e conversamos longamente. Ele falou muito bem daqui. Disse que era casado com uma paraense, que estavam bem adaptados e com intenção de permanecer em definitivo – recordou o Major Ronie Coimbra, Comandante da Brigada Militar em Sapucaia do Sul.


Sylos ocupava o posto de Subcomandante do 18º BIMtz, em Sapucaia do Sul, desde fevereiro de 2009, e por conta disso mantinha estreitos contatos com a BM, a quem colaborou com a formação de 39 novos PM. Por meio da parceria, Sylos forneceu mobiliário e roupas de cama para a BM alojar os novos soldados e abriu espaço na linha de tiro do quartel para treinamentos.


O assassinato consternou oficiais do Exército no Estado.


– O sentimento de pesar é muito grande e vem a enlutar a todos nós – afirmou o Tenente Coronel José Nero Cândido Vianna, da Seção de Comunicação Social do Comando Militar do Sul.


Entre colegas mais próximos, Sylos era considerado um oficial de fino trato, que conversava do mesmo modo com oficiais superiores ou recrutas.


– Era uma pessoa tranquila, que gostava muito de ler sobre política – contou o Tenente Rodolfo Cardoso, do Setor de Comunicação do 18º BIMtz.


O Comandante da Unidade, Tenente Coronel Nei Leiria do Nascimento, lamentou que Sylos tenha morrido em uma fase de sucesso em sua carreira – havia sido promovido a Tenente Coronel em abril – e na vida familiar – três meses antes, comemorou o nascimento da segunda filha. Além do bebê, ele deixa a mulher e outra filha, adolescente.


A despedida de Sylos dos gaúchos ocorreu ontem em uma cerimônia reservada, no salão de honras do 18º BIMtz, onde só foi permitida a presença da família, de militares e de autoridades. Um pastor evangélico conduziu preces e, depois, o corpo foi levado em um carro fúnebre, seguido de um comboio, para a Base Aérea de Canoas, de onde seguiu, à tarde, de avião para Valinhos (SP). O sepultamento está marcado para as 10h30min de hoje no Cemitério Parque Acácias.

2 comentários:

  1. Agente fica comovido com essa violência...

    Que vai em PAZ...

    Em nome da (AREGRS)
    Associação dos Reservistas do Estado do Rio Grande do Sul,muito apoio para família dele...

    Ex.SD. Muniz Ano.1999

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir